As grandes farmacêuticas perdem o controle à medida que os estudos demonstram que quase 100% dos utilizadores de Cannabis abdicam dos fármacos



Um novo e histórico estudo vem ajudar a explicar porque é que as grandes farmacêuticas têm tanto receio dos benefícios medicinais da cannabis. As indústrias farmacêuticas e do álcool, ambas com muito poder e influência nos governos, desde há muito fazem pressão contra a legalização da cannabis para protegerem os seus lucros.

Este recente estudo está a substanciar a ideia de que a cannabis para fins terapêuticos pode ser usada como uma alternativa natural aos medicamentos prescritos para a dor, em que quase 100 por cento dos entrevistados afirmam que acreditam que a cannabis os ajudou a reduzir a utilização dos opióides prescritos pelos médicos, para tratar a dor.

O estudo, conduzido pela HelloMD, uma das maiores comunidades de cannabis médica da nação, e a Universidade da Califórnia Berkley, pesquisaram cerca de 3.000 pacientes que usam medicação para a dor com opióides e não opióides.

Os resultados do estudo concluíram que 97 por cento dos inquiridos "concordaram fortemente / concordaram" que poderiam diminuir o uso dos seus medicamentos opióides com a utilização da cannabis. Enquanto 92 por cento dos entrevistados disseram que "concordaram fortemente / concordaram" que eles preferem a cannabis para tratarem a sua condição médica.

O estudo também descobriu que 81 por cento dos entrevistados disseram que "concordaram fortemente / concordaram" que usar cannabis isoladamente era mais eficaz do que tomar cannabis com opioides.

O uso de cannabis como substituto / em conjunto com medicação contra dor à base de opióides (PRNewsfoto / HelloMD)

Enquanto a cannabis é legal, somente para uso medicinal, em 26 estados e no Distrito de Columbia, 93% dos entrevistados disseram que "concordaram" que usariam a cannabis como substituta da sua medicação actual, se tivessem essa opção.

O Dr. Perry Solomon, Director Médico-Chefe do HelloMD, referenciou uma publicaçãorecente da Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina sobre "O Efeito na Saúde da Cannabis e dos Canababóides", e destacou que este estudo serve como uma forma de apoiar a teoria de que a cannabis é exactamente o oposto a uma droga de escape.

"A última publicação da Academia Nacional de Ciências, claramente refutou a teoria da "droga de escape" em que o uso de cannabis pode levar ao vício em opiáceos e, em vez disso, encontrou evidências de que a cannabis tem diversos benefícios curativos", disse o Dr. Solomon. "O nosso estudo confirma isso. Espero que isso desperte o público, os profissionais médicos e órgãos de soberania para o facto de que a cannabis é um produto seguro e não viciante, e que tem potencial para ajudar a combater a epidemia de opiáceos".

Amanda Reiman, professora da UC Berkley, que ajudou a liderar o estudo, disse que o tratamento da dor tornou-se num "negócio politizado" nos Estados Unidos, e que teve como resultado "o crescimento rápido da taxa de overdoses e de dependência relacionada com opiáceos".


"A Cannabis tem sido usada em todo o mundo desde há milhares de anos para tratar a dor e outras condições de saúde física e mental", disse Reiman. "Os pacientes têm-nos relatado já desde há décadas que esta prática está a produzir melhores resultados do que o uso de medicamentos baseados em opioides. Já é tempo da profissão médica superar a sua loucura e começar a trabalhar com o movimento da cannabis medicinal e com a indústria médica para abrandar a destruição causada pela prescrição excessiva e pelo uso excessivo de opioides".

Como o The Free Thought Project relatou, apesar do facto de que foi demonstrado que a cannabis ajuda numa série de patologias, desde matar células cancerígenas até ao tratamento de condições raras e fatais, ainda é classificada como um dos medicamentos mais mortíferos e sem valor medicinal, nos Estados Unidos.

Enquanto estudos como o mais recente da HelloMD e o da UC Berkley servem para recordar que, para muitos pacientes, a cannabis é a alternativa ideal para os medicamentos opioides, existe uma razão clara para a cannabis não ter sido legalizada nos EUA. Se a cannabis médica fosse legalizada em todos os 50 estados, iria privar a indústria farmacêutica do seu negócio estabelecido de 4,5 biliões de dólares.

Por Rachel Blevins

Rachel Blevins é uma jornalista que vive no Texas e que aspira erradicar o paradigma da polarização entre a esquerda e a direita nos meios de comunicação e na política, procurando a verdade e pondo em causa as narrativas existentes. Este artigo apareceu pela primeira vez aqui no The Free Thought Project.

Source: http://thefreethoughtproject.com/medical-cannabis-patients-rx-meds/

Postagens mais visitadas