Pular para o conteúdo principal

A VERDADEIRA RAZÃO ATRÁS DA SEMANA DE TRABALHO DE 40 HORAS

Por Edward Morgan
Tradução: Ricardo Camillo



( EV via anonhq) escravidão econômica, ou escravidão assalariada, se refere a uma de dependência total e imediato sobre os salários para sobreviver.

Embora as pessoas ao longo da história tiveram que trabalhar para sobreviver, agora vivemos numa cultura em que somos levados a acreditar que temos liberdade econômica, quando, sem o conhecimento da maioria dos cidadãos, estamos de fato presos à servidão.

Aceitamos automaticamente uma semana de trabalho de 40 horas com salário horário minucioso como normal, mesmo que muitos trabalhem horas extras e ainda lutem para sobreviver. Há também aqueles que fazem o suficiente para viver confortavelmente, mas são incapazes de solicitar menos horas-você quer trabalhar 40 horas por semana, ou você não começar a trabalhar em tudo. Enviamos quando disse o que vestir, quando temos de chegar e partir, quando temos permissão para comer, e mesmo quando temos permissão para usar o banheiro. Como é que chegamos a permitir isso?

A semana de trabalho de 40 horas aconteceu durante a Revolução Industrial na Grã-Bretanha, quando em um ponto os trabalhadores estavam colocando em 10 a 16 horas por dia e começou a protestar. Situações de trabalho para os americanos começaram a piorar também, e em 1836, as publicações movimento trabalhista também estavam chamando para uma semana de 40 horas de trabalho. Cidadãos em ambas as situações estavam tão sobrecarregados, um dia de oito horas foi facilmente aceito. Este sistema é desnecessário agora, se alguma vez foi, mas ainda aceitamos isso devido aos efeitos da nossa sociedade capitalista.

Há muitos fatores que contribuíram para que nosso sistema econômico atual e aceitação contínua da semana de trabalho de 40 horas, três fatores principais são consumismo, inflação e dívida. Primeiro, é importante entender exatamente o que a inflação é, como ela funciona e como ela leva à dívida.
Inflação:

Para colocar a inflação simplesmente, digamos que o governo dos EUA precisa de dinheiro para qualquer guerra que eles decidiram saldar este ano. Eles pedem o Federal Reserve para um empréstimo, eo Fed concorda em comprar títulos (uma espécie de IOU's) do governo no montante do empréstimo solicitado. O governo dos EUA, em seguida, imprime um monte de pedaços de papel que dizem "Treasury Bond", enquanto ao mesmo tempo, o Federal Reserve imprime um monte de pequenos pedaços de papel que conhecemos como dinheiro. Um comércio é feito entre o governo eo Federal Reserve - os títulos para o dinheiro - eo governo dos EU deposita diretamente este dinheiro recentemente impresso em um banco diferente, que por sua vez, faz exame de seu corte em taxas e em juros. Voilà, o dinheiro foi criado do nada.

Embora este processo ocorra eletronicamente agora (somente 3% do dinheiro está na forma física, o outro 97% existe nos computadores) o problema de qualquer maneira é que esgota o valor do dólar. Em um ponto no tempo, a moeda valia ouro. Isso foi o que deu dinheiro ao seu valor, mas agora o valor do dinheiro é confiado ao Federal Reserve, que não tem objeções morais para reduzir esse valor, imprimindo mais dinheiro (basicamente falsificação legal). Para o custo de impressão, o Federal Reserve cria dinheiro que o governo dos EUA prometeu pagar dinheiro de volta que nem sequer existia em primeiro lugar.

Funciona assim com empréstimos bancários privados para os cidadãos também. Cada vez que uma transação deste tipo acontece, ele reduz o valor da moeda real, e, portanto, temos inflação. Um dólar em 1913 exigiu US $ 21,60 em 2007 para corresponder ao seu valor. Isso é uma desvalorização de 96% desde que o Federal Reserve entrou em existência. Como isso leva à escravidão econômica? Pela dívida inflação causou.
DÍVIDA:
Resultado de imagem para divida
Desde que o dinheiro é criado através de empréstimos, isso significa que é criado através da dívida. Dinheiro é igual a dívida, e dívida equivale a dinheiro. Assim, quanto mais dinheiro existe, mais dívida existe e vice-versa. O que isto significa é, se de alguma forma o governo e cada cidadão em dívida foram capazes de pagar esses empréstimos, não haveria um único dólar em circulação.

Interesse desempenha um papel importante nesta equação também. Quando você tirar um empréstimo eo banco lhe dá dinheiro que tecnicamente não existe, eles também esperam que você pague juros adicionais com ele. Se o dinheiro emprestado é proveniente do Federal Reserve, onde está o dinheiro para o interesse suposto vir?

A resposta está em nenhuma parte.

Isso significa que não importa o que, a nação nunca será capaz de sair da dívida, e que é exatamente o propósito deste sistema meticulosamente orquestrada. Como um lance da moeda, alguém em algum lugar sempre vai à falência para compensar o interesse que está sendo pago com ainda mais dívida. E assim, como a nação afunda ainda mais no buraco enquanto o custo de vida aumenta, sobreviver na economia se torna mais difícil. Este desespero para sobreviver, juntamente com o fato de que nós nascemos neste sistema, é finalmente o que nos leva a aceitar a semana de 40 horas sem um momento de pensamento.

Então agora entendemos o elemento que nos obriga a aceitar nossa situação, mas como a semana de 40 horas beneficia bancos e corporações? Afinal, os estudos mostram que o trabalhador de escritório médio recebe menos de três horas de trabalho realizado em um turno de trabalho de 8 horas e, segundo relatos, os lucros das empresas dos EUA estão subindo enquanto os salários estão em declínio. Bureau of Labor Statistics números mostram que a produtividade aumentou a uma taxa anual de 2,3 por cento no terceiro trimestre, enquanto o salário horário só aumentou 1,3 por cento no terceiro trimestre, e este tem sido o padrão básico por algum tempo - acrescenta-se depois de um tempo . Os lucros das empresas estão em seu nível mais alto em pelo menos 85 anos, então por que não estamos sendo pagos mais, trabalhando menos e fornecendo empregos adicionais àqueles que precisam deles? Isso nos leva ao consumismo.
CONSUMERISMO:

Consumismo é definido pelo dicionário Merriam-Webster como: a crença de que é bom para as pessoas gastar muito dinheiro em bens e serviços. Em certo ponto, essa crença pode ter soado verdadeira, mas com o atual sistema capitalista eo custo de vida, o consumismo começou a ter efeitos negativos sobre nossa sociedade, especialmente quando você leva em consideração a inflação ea dívida crescente. Quanto mais compramos, mais alimentamos as corporações e os bancos que, por sua vez, nos empurram para a escravidão econômica.

Desde os anos 1800 ea Revolução Industrial, os "consumidores" têm gastado cada vez mais dinheiro em compras frívolas. Este excesso de indulgência tem sido nutrido e alimentado pelas corporações usando o mercantilismo (a atitude ou ações de pessoas que são influenciadas muito fortemente pelo desejo de ganhar dinheiro ou comprar bens e não por outros valores - Merriam-Webster) como uma ferramenta. Insinuações psicológicas foram plantadas no subconsciente da sociedade para as gerações através de anúncios de consumo que, em última instância, levou a certos hábitos e crenças. Alguns exemplos são:

"Buy now pay later" - A General Motors Acceptance Corporation (GMAC) começou esta mentalidade quando foi criada em 1919 e começou a promover a concessão de empréstimos a pessoas que compraram carros. Os americanos eventualmente começaram a usar os novos planos de crédito em praticamente tudo.

"Mantendo-se com o Joneses" - Comumente pensado para ser o início da cultura de consumo americano, esta mentalidade começou quando GM introduziu a mudança de modelo de carro anual. As pessoas queriam ter o modelo mais recente a cada ano, e logo essa idéia se espalhou. A maioria de nós, se queremos admiti-lo ou não, estão familiarizados com essa mentalidade. Ao invés de manter nossa torradeira velha que funciona perfeitamente bem, queremos o novo modelo de aço inoxidável retro-estilo, porque parece assento ostentando em nosso balcão da cozinha.

"1929-1945 Depressão e Guerra" - Logo após a Depressão veio WWII, durante o qual anunciantes prometeu produtos estar disponíveis quando havia paz. Como resultado, os clientes (consumidores) estavam ansiosos para assumir os gastos imediatamente após a guerra acabou.

"Paz" - Quando a guerra terminou, o otimismo do consumidor e o crescimento econômico acompanharam a vitória.

"Carregue!" - Os cartões de crédito foram promovidos pela primeira vez através do Diners Club, uma empresa de cartões de débito que presta serviços a pessoas ricas e bem viajadas de todo o mundo. Outras empresas seguiram o exemplo e começaram a anunciar cartões de crédito como um "dispositivo de economia de tempo" ao invés de uma maneira de gastar dinheiro que não estava realmente lá.

"Maior é melhor" - durante os anos 70, as companhias começaram a emitir cartões de crédito para fora pelas massas àqueles que não os pediram. Enquanto os americanos já estavam desenvolvendo a idéia de que "maior é melhor", o boom do cartão de crédito acabou explorando essa idéia. Agora as pessoas tinham os meios para obter itens extravagantes que não podiam antes, apesar de colocar muitos em dívida colossal. O Congresso logo teve de regular o boom do cartão de crédito e proibir o envio de cartões para aqueles que nunca os solicitaram em primeiro lugar.

Empresas em todos os tipos de indústrias têm uma enorme participação na propensão do público a ser descuidado com seu dinheiro, e eles incentivam este hábito de despesas ocasionais ou não essenciais quando podem. Por exemplo, no documentário The Corporation, um psicólogo de marketing discutiu um método que ela usou para aumentar as vendas que envolveu incentivar as crianças a importunar seus pais para comprar brinquedos. Estudos mostraram que 20% a 40% das compras deste tipo resultaram depois que as crianças incomodavam seus pais.

"Você pode manipular os consumidores em querer, e, portanto, comprar, seus produtos. É um jogo ". Lucy Hughes, co-criadora de" The Nag Factor ".

A semana de trabalho de 40 horas é a ferramenta final para corporações para sustentar essa cultura de gastos excessivamente indulgentes. Sob nossas atuais condições de trabalho, as pessoas são forçadas a construir uma vida à noite e seus dias de folga. Encontramo-nos mais inclinados a gastar muito em entretenimento e conveniências, porque raramente temos qualquer tempo livre. Quando temos tempo para nós mesmos, geralmente é fugaz, e eventualmente nos encontramos negligenciando aquelas atividades que são andar livre, exercitar, ler, meditar, esportes, hobbies etc. - porque levam muito tempo.

Enquanto ter dinheiro extra vem no sacrifício de tempo pessoal para alguns, para outros, eles não só são roubados de sua liberdade pessoal, mas eles lutam para fazer face às despesas em cima dela. O "perfeito" consumidor trabalha em tempo integral, ganha uma quantidade razoável de dinheiro, indulges durante o seu tempo livre, e de alguma forma apenas torna-lo por cada mês. No entanto, até mesmo aqueles que não ganham salários justos às vezes encontram-se desperdiçando pequenos incrementos de dinheiro em itens desnecessários para as razões erradas - uma xícara de Starbucks aqui, um McDonald's cheeseburger lá, e aqueles dados fuzzy realmente legais pendurados no retrovisor De seu 1993 Honda Civic.

Qualquer maneira que você olhar para ele, nós nos tornamos uma sociedade infeliz, estúpida, over-worked. Compramos itens bobos por alguns momentos de felicidade antes de ficar entediado e seguir em frente. Sentimos a necessidade de acompanhar as modas, ou de cumprir nossa visão de infância de como seria a idade adulta. Escondemos nossas inseguranças, evitamos problemas e substituímos necessidades psicológicas por itens materiais. Mantendo o tempo livre da sociedade escasso, as pessoas pagarão mais por conveniência, gratificação e qualquer outro alívio que possam comprar.

Manter América insalubre tornou-se extremamente rentável para grandes empresas, e até agora os seus esforços têm pago-off lindamente. Nossa sociedade foi transformada em uma indústria alimentada pela escravidão econômica, eo consumismo é um fator-chave nesse sistema corrupto - sobre o qual as pessoas têm influência direta. Os consumidores são os únicos que podem parar de consumir.

Fontes:
http://prepareforchange.net/2016/12/20/the-true-reason-behind-the-40-hour-work-week-why-we-are-economic-slaves/

Http://www.collective-evolution.com/2016/12/20/the-true-reason-behind-the-40-hour-work-week-why-we-are-economic-slaves/?utm_source=feedburner&utm_medium = Email & utm_campaign = Feed% 3A + Evolução coletiva +% 28Collectiva + Evolução% 29

Caim, David. Verdadeiro ativista. 07 de dezembro de 2014. ( http://www.trueactivist.com/your-lifestyle-has-already-been-designed-the-real-reason-for-the-forty-hour-workweek/ )

Ethos. Dir. Pete McGrain. Cinema Libre Estúdio, 2011. Documentário

Gráfico fornecido por: ( http://economagic.com/ )

Jones, Shannon. Web site socialista do mundo. 04 de dezembro de 2014. ( http://www.wsws.org/en/articles/2014/12/04/wage-d04.html )

Mt. Estudo da pesquisa da faculdade de Holyoke. Consumismo Americano e o Ambiente Global. 2009. ( http://www.mtholyoke.edu/~kelle20m/classweb/wp/index.html )

Zeitgeist: Adendo. Dir. Peter Joseph. GMP LLC, 2008. Documentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Biólogos provam que o sarampo não é um vírus, e vence processo da Suprema Corte Alemã.

Em uma decisão recente, os juízes do Supremo Tribunal Federal alemão (BGH) confirmaram que o vírus do sarampo não existe.
Além disso, não há um único estudo científico no mundo que possa provar a existência do vírus em qualquer literatura científica. Isso levanta a questão do que foi realmente injetado em milhões ao longo das últimas décadas.

Nenhum cientista, imunologista, especialista em doenças infecciosas ou médico nunca foi capaz de estabelecer uma base científica, não só para a vacinação do sarampo, mas qualquer vacinação para bebês, mulheres grávidas, idosos e até mesmo muitos subgrupos de adultos.

O fato de muitas vacinas serem ineficazes está se tornando cada vez mais aparente. Merck foi golpeada com dois processos de ação de classe separados alegando que mentiu sobre a eficácia da vacina contra caxumba em sua combinação MMR tiro e fabricados estudos de eficácia para manter a ilusão para as duas últimas décadas que a vacina é altamente protetora.



Estudos como o publicado na r…

Socialismo Fabiano! Lobos em pele de cordeiro.

O socialismo fabiano, ou fabianismo, é um movimento político-social britânico nascido no fim do século XIX, encabeçado pela Sociedade Fabiana. Esta associação foi fundada em Londres no dia 4 de janeiro de 1884, e propunha, como finalidade institucional, a elevação da classe operária para tornar-la apta a assumir o controle dos meios de produção.

Desde seus fundadores, o casal britânico Sidney e Beatrice Webb, o fabianismo nunca passou de um instrumento auxiliar da revolução marxista, incumbido de ganhar respeitabilidade nos círculos burgueses para destruir o capitalismo desde dentro. Os conservadores ingleses diziam isso e eram ridicularizados pela mídia, mas a abertura dos Arquivos de Moscou provou que o mais famoso livro do casal não foi escrito pelo marido nem pela esposa, mas veio pronto do governo soviético.

A articulação dos dois socialismos era chamada por Stalin de “estratégia das tesouras”: consiste em fazer com que a ala aparentemente inofensiva do movimento apareça como ún…

"Israel envolvidos no assassinato do juiz Teori Zavascki em avião para evitar papéis Panamá??

Nas informções abaixo posso não concordar com isto ou aquilo, mas postei na integra o material que encontrei pois, precisamos de toda informação possivel para que ao chegar novas noticias tenhamos uma compreenção melhor do que nos rodeia, atentem para as informações que julguem interessantes descartem o que seja dentro de seu sistema de crenças.  Ricardo Camillo.
Papéis Panamá segunda parte; levando à prisão de mais de 200 políticos e executivos, incluindo o presidente Temer e ex-presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Seria uma outra razão para a demissão procurado do diretor do serviço secreto Mossad ".
21 de janeiro de 2017




O juiz Teori Zavascki morreu no ataque em seu avião na quinta-feira no mar ao sul do Rio de Janeiro.

Seu assassinato foi realizado pela presidência brasileira, que é de propriedade por sionista Michel Temer com a assistência técnica do Mossad para proteger os seus investimentos em ambas as empresas Petrobras e Odebrecht SA, para evitar a prisão de mai…