Polícia americana está secretamente testando o policiamento preditivo no estilo "Minoryt Report.



( Brett Tingley ) A era do Big Data e a vigilância onipresente tem estado sobre nós há algum tempo. Todas as nossas atividades diárias, hábitos de compra, paradeiro, relações sociais e mais pontos de dados são registrados em vários servidores em todo o mundo para agências governamentais e entidades privadas analisarem, analisarem e preservarem. Quem sabe o que mais poderia estar escondido nas enormes e sofisticadas trilhas de dados que deixamos para trás todos os dias? Nossos desejos mais secretos e íntimos de que nós mesmos não estamos conscientes ainda? Medos, ódio e preconceitos que não sabíamos que tínhamos?

Fonte - Universo Misterioso
por Brett Tingley , 22 de fevereiro de 2019
Tradução: Ricardo Camillo

Quem sabe. Pode haver algoritmos de inteligência artificial por aí que o conhecem muito melhor do que você mesmo. O que aconteceria se um desses decidisse que, mesmo que você seja um cidadão perfeitamente calmo e respeitoso da lei hoje, você pode um dia representar um perigo para si mesmo ou para os outros? Seria eticamente aceitável prender alguém com base em uma previsão sobre seu comportamento futuro?

Essas são questões que muitas agências policiais dos Estados Unidos estão explorando em segredo. Motherboard publicou um relatório nesta semana descrevendo como policial em dezenas de cidades americanas estão experimentando com PredPol, um “software policiamento preditivo” rasgado diretamente das páginas de 1,956 conto de Philip K. Dick “The Minority Report.” Placa-mãe obteve documentos mostrando que a Pelo menos 25 diferentes departamentos de polícia em todo os EUA estão testando a capacidade do sistema PredPol de prever o crime da mesma forma que os meteorologistas preveem o clima, mas a extensão total com que esse sistema está sendo implementado ainda é desconhecida.
Assista ao documentário pré-crime



“Meus precurss me dizem que você tem cerca de dez anos para começar a pensar em roubar um banco para pagar seus empréstimos estudantis. Aproveite a sua liberdade enquanto pode!

A PredPol pretende prever o crime em seções específicas de 500 pés por 500 pés de uma cidade usando dados de crimes existentes que datam de até uma década. Embora muitos críticos tenham apontado que a PredPol representa uma nova e aterradora inclinação para prender pessoas perfeitamente inocentes, seus defensores dizem que o sistema destina-se apenas a ajudar a polícia a decidir onde alocar seus funcionários e recursos com base nos dados criminais existentes. Até agora, a PredPol deixou de boca fechada a extensão do uso de seu sistema, referindo-se a todas as solicitações de informações para as próprias agências de aplicação da lei.

Enquanto isso soa muito bem, é fácil ver como esse sistema pode evoluir. Se - ou talvez quando - os históricos de mídia social de indivíduos particulares e os dados de rastreamento de localização de dispositivos móveis forem incorporados a esses sistemas de policiamento preditivo, poderemos começar a ver o tipo de prisão preventiva prevista no Relatório das Minorias se tornar realidade. Devemos transformar a segurança pública nas máquinas? A AI será capaz de fazer um trabalho melhor que os policiais humanos?

Nunca é tarde demais para distribuir todos os seus dispositivos de vigilância e mudar para o Alasca para viver fora da rede. Os precogs estão chegando.

Quietude no Storm Editor : Por que publicamos isso?
Pre-crime é a noção de que uma pessoa pode ser processada por um crime antes que o crime tenha sido cometido ou mesmo antes de uma pessoa pensar em fazê-lo. De uma perspectiva de jurisprudência ou filosofia do direito, isso é anátema para a justiça real. Para quase toda a história humana, uma pessoa foi considerada culpada de um crime por causa de dois princípios fundamentais: actus reus (ação culpada) e mens rea (mente culpada). Mas precrime lança esses princípios para fora. Até hoje, o máximo de mens rea foi erodido. Mas o pré-crime é um novo nível de justiça da cor do direito que coloca a civilização humana como a conhecemos em risco. O artigo anterior revela essa agenda ilícita insidiosa. O Estado Profundo gostaria apenas de rotular quais partes da população “indesejáveis” e jogá-las na prisão, ou pior. Como um povo, não devemos deixar que nossa paixão pela justiça destrua os meios pelos quais a justiça é corretamente efetuada. Este assunto é importante entender porque não é justiça verdadeira. Assim, ao compreendê-lo, pode-se chegar mais perto de saber o que a verdadeira justiça realmente é. A partir daqui, com o desejo de busca da verdade ativo, pode-se começar o longo processo de aprender a lei e entender como ela funciona. Com esse conhecimento em mãos, incríveis poderes de discernimento pessoal, harmonia social e orientação na vida, em geral, podem ser alcançados, habilidades essenciais para a verdadeira soberania e cura do mundo. pode-se começar o longo processo de aprender a lei e entender como ela funciona. Com esse conhecimento em mãos, incríveis poderes de discernimento pessoal, harmonia social e orientação na vida, em geral, podem ser alcançados, habilidades essenciais para a verdadeira soberania e cura do mundo. pode-se começar o longo processo de aprender a lei e entender como ela funciona. Com esse conhecimento em mãos, incríveis poderes de discernimento pessoal, harmonia social e orientação na vida, em geral, podem ser alcançados, habilidades essenciais para a verdadeira soberania e cura do mundo.
- Justin

Comentários